Sure, filme: A Culpa é das Estrelas

15:57:00

Search by images
Nós assistimos "A Culpa é das Estrela"s e te contamos o que achamos e como sobrevivemos.
Paloma: Não há nada que eu possa dizer sobre este filme que alguém já não tenha dito, mas mesmo assim o farei, pois sinto a necessidade de contar pra todos o quão bom ele é.

Li o livro do John em Janeiro de 2013, quando ainda não tinha virado febre, e desde lá carrego um afeto muito grande por ele. A história da Hazel que todo mundo já conhece, acrescentou e me marcou, e logo este livrou virou um dos meus favoritos. Tempos depois quando soube que ia virar filme vibrei, mas em seguida temi. Quantas e mais tantas adaptações de livros ficaram péssimas no cinema? Não foram fieis, ou estragaram nossa parte favorita? Temi por isso. E temi mais um pouco quando foram anunciados os protagonistas.

Shailene Woodley? Xinguei aos ventos quando soube que minha querida Hazel seria interpretada pela garotinha que fazia "A vida secreta de uma adolescente americana". E na época parecia não ter mesmo nada a ver. Reclamei muito, e reclamei mais ainda de Ansel. Coitado. Só porque ele era bem mais magricela do que o Gus que eu havia imaginado. Mas por fim acabei me acostumando, e afinal se o próprio John Green tinha aprovado, eu tinha que me acostumar, quer dizer, ninguém melhor do que o grande criador desta história para aprovar os atores não é mesmo? 

Acabada as cismas com as escolhas dos personagens daí em diante foram só expectativas. Contei todos os minutos pra estreia deste filme (acredito que eu e muita gente), e fiquei ansiosa até que finalmente ele estreiou.

E sim, é tudo que eu esperava, só que é mais um pouco. Muita gente já disse: "É incrível, emocionante, perfeito". E eu diria mais: É GRANDIOSO. Não vejo nenhuma outra palavra para descrever cada minuto deste filme.

Ver Hazel Grace e Augustus Waters ganhando vida, foi  realmente uma grandiosidade que eu não consigo descrever em muitas palavras, e por isso mesmo repito "é incrível, emocionante, perfeito, e muito mais".

Foi muito fiel ao livro, e superou todas as minhas expectativas. Claro que temos um detalhezinho e outro a parte, mas que no final não fizeram diferença nenhuma.

O filme me encantou, divertiu e emocionou. Gostei desde as caras e bocas do Gus, das partes em que o amigo Isaac aparece (a maioria me fez rir muito), a sensibilidade no romance de Hazel e Gus. Lágrimas rolaram em boa parte do filme, porque apesar de ser muito divertido, e ter seu quê de cômico, é também muito triste em certas partes, e ás vezes soa tão doloroso que não há como não chorar.

E só pra finalizar quero dizer que Shai, e Ansel, foram espetaculares em suas atuações, já não consigo imaginar mais ninguém para interpretá-los. E Shailene principalmente, que merece minhas sinceras desculpas, e foi ótima como Hazel Grace, novamente: muito mais do que eu podia esperar.

Acho que não tenho muito mais a dizer a não ser: VÁ LOGO ASSISTIR. E não faça como eu, e garanta os lencinhos, porque você com certeza vai chorar. 

Yumi: Antes de mais nada, levem lenços! Confiei nos meus sentimentos e me ferrei, chorei, borrei o delineador e sai com os olhos inchados, assim como as minhas lindas amiguinhas e todos na sessão.

Como sempre li o "A Culpa é das Estrelas" em 2013 por recomendação da Pah, e não me arrependo nem um pouco, lembro que li em menos de uma semana, chegava da faculdade e já lia, no ônibus, antes de dormir... Enfim, foi uma leitura rápida e muito prazerosa e a primeira introdução ao mundo do Sr. John Green. 


Me senti completa quando acabei de ler. Parecia que uma parte da Hazel e do Gus tinham ficado em mim, que a historia deles não acabavam naquelas paginas, que tinha mais coisa para ser contada. E foram no filme de uma forma fiel e sem perder a essência do casal.

Arisco a dizer que é uma das melhores adaptações literárias  para cinema, claro que algumas partes não tiveram, mas nada que fizesse falta e não houveram mudanças drásticas. Os atores souberam dar o tom, as caras e bocas do amado Gus são perfeitas e a Hazel era exatamente como uma paciente terminal.

Um casal encantador, verdadeiro. A forma como o Gus olhava para Hazel e vice versa... De tirar o fôlego. Mas uma coisa me marcou muito, quando o August passa mal no carro... Melhor cena, triste sim, chorei, pois senti a dor na voz do ator Ansel, a expressão dele deu até arrepio. 

Shailene também não desapontou. Assim que anunciaram que ela daria vida a Hazel Grace fiquei com o pé atrás, mas me enganei completamente. Ela passou que estava morrendo, que estava sem força e com falta de respiração. Ambos os atores estão de nota 10.

Do começo ao fim pude amar, sofrer, sorrir, chorar (e muito) e me apaixonar. Para quem não leu não vai se sentir um peixe fora d'água, e sim amar pela primeira vez esse que sem sombra de duvida será um filme que marcou uma geração de novos leitores. E para quem já leu irá poder ver os nossos amores saírem das paginas e darem vida a uma historia mágica.

Novamente, mesmo quem não tem coração leve um lencinho, nunca se sabe.



You Might Also Like

0 comentários

Converse com a gente ♥

recent posts